Home / Comunicação

Notícias

Home / Comunicação

Notícias

Após dois dias de intensos debates, XXI Encontro CLARCIEV chega ao fim em São Paulo

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Evento realizado nos dias 3 e 4 de julho promoveu a troca de experiências e boas práticas no Registro Civil da América Latina e Caribe

 

O XXI Encontro do Conselho Latino-Americano e do Caribe de Registro Civil, Identidades e Estatísticas Vitais (CLARCIEV) teve continuidade nesta quinta-feira (4), em São Paulo. Luis Carlos Vendramin Junior, presidente do ON-RCPN, coordenador do ONSERP e vice-presidente da Arpen-SP, abriu o segundo dia do evento com uma exposição sobre o Registro Civil Eletrônico e o IdRC.

 

“O registro civil é a fonte primária dos dados biográficos do cidadão desde o princípio, e é natural que o RCPN tenha um Sistema de Autenticação, que é exatamente o que o IdRC proporciona”, disse o registrador.

 

A Identidade Digital: Experiências Exitosas de Implementação

 

Dando sequência à programação, Patrícia Lorenzo Paniagua, da Junta Central Eleitoral da República Dominicana, mediou o primeiro painel do dia, que debateu a identidade digital e as experiências exitosas de implementação. Os panelistas Julián Najles, do Banco Mundial; Omar Morales, do Serviço de Registro e Identificação do Chile; Rolando Kattan, do Registro Nacional das Pessoas de Honduras; Andrés Ramirez, do GET Group; Jakob Glynstrup, da Biometrics Institute; e Ricardo Custódio, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), apresentaram casos de sucesso de plataformas digitais do Registro Civil em seus respectivos países.

 

Ricardo Custódio detalhou o funcionamento do certificado digital. “Aqui no Brasil, esse certificado possui validade de 100 anos. Não há problemas de revogação. Nós eliminamos o carimbo do tempo, garantindo a manutenção da segurança jurídica”.

 

“O Registro Civil é um pilar fundamental da cidadania plena, garantindo o reconhecimento legal da nossa individualidade e o pleno desfrute dos direitos e deveres civis, políticos e sociais”, disse Custódio finalizando o painel.

 

Integração de Sistemas de Registro e Identificação

 

O segundo painel do dia tratou sobre a integração de sistemas de registro e identificação. Mediado por Claudia Araya, do Serviço de Registro e Identificação do Chile, os panelistas Ahlam Safa, do MOSIP; Martín Salcedo Vargas, do IDEMIA; Rolando Kattan, do Registro Nacional das Pessoas de Honduras; Alberto Sánchez Bermejo, da Casa Nacional da Moeda e Selos da Espanha; Borja Carreras, da Indra; e Dominic Forest, do iProov abordaram a importância da criptografia e da biometria facial nos respectivos sistemas dos países.

 

Registro Civil e Identificação em Contextos de Instabilidade e Vulnerabilidade

 

Na segunda parte do dia de debates, Rubén Alvarado, do Tribunal Eleitoral do Panamá, moderou o terceiro painel do dia, cujo tema central foi o “Registro civil e identificação em contextos de instabilidade e vulnerabilidade”. Com a participação dos panelistas Reynold Guerrier, do Registro Nacional de Identificação do Haiti; Omar Morales, do Serviço de Registro Civil e Identificação do Chile; Fernando Bissacot, do ACNUR; Pedro Di Iulio Ilarri, vice-presidente da Arpen-RS; e Oscar Rivera, do Registro Nacional das Pessoas de Honduras, o debate expôs a relevância do Registro Civil nestes contextos.

 

Durante sua participação, Fernando Bissacot, da ACNUR, abordou as apátridas, ou seja, aquelas pessoas que não têm sua nacionalidade reconhecida por nenhum país. O painelista trouxe números alarmantes envolvendo o grupo e citou exemplos de campanhas promovidas por alguns países (Colômbia, México, Costa Rica e Chile) na busca pela erradicação desse problema. “O Registro Civil tem um papel fundamental na prevenção da apatridia”, ressaltou.

 

A catástrofe climática no Rio Grande do Sul, causada pelas enchentes históricas que atingiram o estado no final de abril e começo de maio, foi tema da participação de Pedro Ilarri no painel. O vice-presidente da Arpen-RS contou o trabalho que foi feito pelos registradores civis gaúchos junto à população, apresentando aos participantes do evento um vídeo com depoimentos de atendidos pelas ações e de registradores civis.

 

Alteração de Dados de Identificação, Nome e Gênero: Reconhecimento Jurídico em Outros Países

 

Antes do último painel do XXI Encontro CLARCIEV, Gustavo Ferraz de Campos Monaco, professor titular da Faculdade de Direito da USP, e Roberto Zárate Rosas, da Direção Geral de Registro Nacional de População e Identidade do México, fizeram uma breve discussão sobre a alteração de dados de identificação, de nome e gênero, e o reconhecimento jurídico em outros países.

 

Acesso dos Migrantes ao Registro e à Identificação na América Latina e no Caribe

 

O último painel do XXI Encontro CLARCIEV tratou sobre o acesso dos migrantes ao registro e à identificação na América Latina e no Caribe. Com mediação de Rebeca Omaña Peñaloza, da Organização dos Estados Americanos (OEA), os panelistas Kendra Gregson, da UNICEF; Gianluca Ogis, da ACNUR; Karine Boselli, vice-presidente da Arpen-SP e diretora da Arpen-Brasil; e Fernando Aguirre, do Registro Nacional das Pessoas Naturais de El Salvador, trouxeram dados estatísticos referentes aos imigrantes e destacaram a importância do Registro Civil para essas pessoas.

 

Em sua participação, Karine Boselli destacou a diferença entre os refugiados, apátridas e indocumentados, e os impactos gerados por esse grupo de pessoas no mercado de trabalho. Segundo a diretora da Arpen-Brasil, o Registro Civil precisa se basear na boa fé e reconhecer a pessoa natural. “Nós temos o direito sim de ser reconhecido… seja como refugiado, seja como apátrida, seja como indocumentado. O Registro Civil precisa se basear na boa fé e reconhecer a pessoa natural, concedendo cidadania para essa pessoa e todos os seus direitos”.

 

Encerramento

 

O encerramento oficial do XXI Encontro CLARCIEV ficou por conta de Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil e Jorge Wheatley Fernández, presidente do CLARCIEV.

 

“O Registro Civil brasileiro era uma verdadeira incógnita para mim e hoje saio daqui dizendo que conheci muito do Registro Civil brasileiro e esse conhecimento veio por meio da acolhida e receptividade de cada um de vocês. Foi um prazer encerrar minha gestão à frente do Clarciev em meio a um povo tão caloroso e receptivo. Agradeço por esta oportunidade!”, declarou Jorge Wheatley Fernández, presidente do CLARCIEV.

 

“Aqui foi um refúgio de humanidade nos últimos dois dias! Se discutiu a integração, mas sempre pensando na inclusão, e não na discriminação. Se discutiu o avanço tecnológico, mas sempre de uma maneira para que sirva as pessoas, e não as exclua. A realização deste evento aqui no Brasil será uma lembrança que levarei para o resto da vida. Só tenho a agradecer”, finalizou Fiscarelli.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Arpen-Brasil

Compartilhe está notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin